Embaixador britânico no Brasil considera inesperado revés de May

Embaixador britânico no Brasil considera inesperado revés de May

Relações entre Brasil e Reino Unido são muito fortes e históricas, há muitas empresas brasileiras no Reino Unido, diz diplomata

Francine De Lorenzo e Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 21h43

O resultado das eleições no Reino Unido não altera as relações entre o país e o Brasil, avaliou em entrevista ao Broadcast o embaixador britânico Vijay Rangarajan.

"As relações entre Brasil e Reino Unido são muito fortes e históricas, há muitas empresas brasileiras no Reino Unido", comentou Rangarajan, que classificou como "inesperada" a perda da maioria absoluta no Parlamento pelo Partido Conservador, da primeira-ministra Theresa May.

Questionado sobre a possibilidade de renúncia de May após o resultado desfavorável nas urnas, Rangarajan evitou previsões, observando que "uma das coisa que aprendi com o Brasil é que não é bom especular". Ele, entretanto, ressaltou que May disse que continuará como primeira-ministra e apresentará seu programa de governo nos próximos dias.

Rangarajan comentou que os Conservadores pretendem obter o apoio do Partido Unionista Democrático (DUP, na sigla em inglês), da Irlanda do Norte, para formar um novo governo e dar continuidade aos seus planos de retirada do Reino Unido da União Europeia - o Brexit. "As relações com a Irlanda são uma das questões mais difíceis do Brexit, diante da fronteira com a Irlanda do Norte. É importante que tenhamos um partido da Irlanda do Norte apoiando o governo", afirmou.

Cumprir o cronograma das negociações do Brexit, que tem previsão de conclusão em março de 2019, é um desafio, segundo embaixador, já que as negociações tendem a ser bastante complicadas. "Mas acredito que seja possível. É importante para a economia e para as pessoas", destacou. "As negociações do Brexit devem ser bastante técnicas, mas é importante para o Reino Unido manter boas relações com a União Europeia. Não mudamos nossa geografia, devemos ter uma parceria grande com o bloco." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.