Embaixador chileno na Venezuela renuncia após polêmica

O embaixador do Chile na Venezuela, Claudio Huepe, renunciou ao cargo nesta quinta-feira, 15, após uma polêmica entrevista na qual revelou detalhes de uma conversa particular com a presidente chilena, Michelle Bachelet, sobre o voto do país na eleição no Conselho de Segurança da ONU. Huepe disse em uma entrevista ao canal de televisão Telesur que Bachelet havia pensado em favorecer a Venezuela na votação, realizada ano passado no Conselho de Segurança da ONU, mas que por "razões de política interna" decidiu pela abstenção. "Eu apresentei minha irrevogável renúncia ao ministro Alejandro Foxley, pois creio que minhas declarações provocaram um entrave político que nunca busquei e nunca pensei que poderia provocar", disse o embaixador a jornalistas após uma reunião com o chanceler chileno. A demissão de Huepe foi aceita pela presidente. O diplomata foi chamado para consultas em Santiago depois de seus comentários e chegou na madrugada de quinta-feira à capital chilena para encontrar-se com Foxley. As declarações provocaram um profundo mal-estar no governo de Santiago, e o ministro Foxley classificou os comentários como "graves" e "delicados". "Com isso (a renúncia), damos o tema por encerrado. Lamentamos o que ocorreu, porque o embaixador Huepe estava fazendo um trabalho muito bom. Estava produzindo uma abordagem da Venezuela com o Chile e gostaríamos que isso não tivesse acontecido", disse o chanceler a jornalistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.