Embaixador da Líbia nos EUA pede renúncia de Kadafi

O embaixador da Líbia nos EUA, Ali Aujali, juntou-se aos outros diplomatas do país árabe e pediu que o ditador Muamar Kadafi renuncie diante da pressão internacional e, sobretudo, após a repressão violenta contra os manifestantes, causando cerca de 400 mortes.

Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 03h44

"Eu penso que ele (Kadafi) deve renunciar. Não vejo outra solução. Ele deve deixar o posto e dar uma chance de o povo fazer seu próprio futuro." Ele reforçou: "como eu posso apoiar um governo que assassina pessoas ?"

Aujali trabalhou para o governo líbio durante 40 anos e era embaixador da Líbia nos EUA desde 2009. Segundo ele, apesar de Kadafi, há muita gente no país que tem trabalhado para tornar o país melhor, mas que cujos bons anseios têm sido sufocados pelo ditador.

A embaixada líbia na Malásia emitiu um comunicado condenando a repressão de Kadafi contra o povo. "Nós condenamos este massacre de inocentes, uma barbaridade contra civis." O movimento palestino Hamas também condenou as mortes cometidas pelo regime de Kadafi contra seu próprio povo. Em comunicado, o Hamas disse: "O regime de Kadafi ordena a ação de aviões contra a população, e nós conclamamos o povo palestino, os muçulmanos e árabes a condenar essa matança". As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.