Embaixador do Peru afirma que país "defendeu sua soberania"

O embaixador do Peru em Caracas, Carlos Urrutia, afirmou hoje que seu país "defendeu sua soberania" ao ordenar seu retorno a Lima pelas constantes "intromissões" do presidente venezuelano, Hugo Chávez, em sua política interna.Urrutia chegou hoje à capital peruana após ter recebido a ordem do presidente Alejandro Toledo de abandonar a legação diplomática em protesto pelas declarações de Chávez. O governante venezuelano qualificou Toledo de "jacaré do mesmo poço" que o ex-presidente Alan García, em resposta a uma nota de protesto enviada pelo Peru depois de chamar o candidato social-democrata de "corrupto e ladrão".García, que no dia 28 de maio disputará o segundo turno das eleições presidenciais contra o nacionalista Ollanta Humala, tinha dito anteriormente que Chávez era um "sem-vergonha" por se opor aos tratados de livre-comércio assinados pelo Peru e Colômbia com os EUA enquanto seu país vende grandes quantidades de petróleo aos americanos.Urrutia declarou hoje aos jornalistas que "O Peru defendeu sua dignidade e sua soberania e soube se colocar à altura da situação", ao ordenar sua retirada. O embaixador considerou que as declarações de Chávez "não sãoqualificativos adequados para um chefe de estado, são agressivos e de certa maneira têm uma dose de grosseria"."Continuamos mantendo relações, isso não está em dúvida. O encarregado de negócios ficou na minha representação, simplesmente o Peru tinha que ter essa posição como uma forma de defender sua soberania e a independência de um processo eleitoral transparente como o que foi realizado", explicou.O diplomata acrescentou que "é impossível prever" a evolução da crise, mas expressou sua esperança de que não se rompam as relações bilaterais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.