Embaixador do Vaticano é morto em país da África

O representante do papa no Burundi foi morto a tiros, informam uma agência de notícias missionária e o Vaticano. O monsenhor Michael Courtney foi atingido na cabeça, no ombro e em um dos membros, segundo a agência missionária Misna. Os tiros foram disparados contra o carro em que o núncio papal viajava. O sacerdote morreu no hospital.Uma fonte do Vaticano, falando sob a condição de não ter seu nome revelado, confirmou a morte, mas se recusou a dar mais detalhes antes que a família fosse avisada. O monsenhor era de origem irlandesa e tinha 58 anos.A Misna informa que Courtney foi baleado em Minago, cerca de 50 km ao sul da capital, Bujumbura. As circunstâncias do ataque ?não estão totalmente claras?, segundo a declaração emitida pela agência. O Burundi vive imerso em violência há uma década. O conflito irrompeu em 1993, quando rebeldes da maioria hutu pegaram em armas depois que paramilitares tutsi mataram o primeiro líder eleito do país. Embora acordos de paz tenham, sido firmados, um grupo rebelde, As Forças de Libertação Nacional, continua a lutar.

Agencia Estado,

29 de dezembro de 2003 | 16h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.