Embaixador dos EUA apresenta desculpas ao Japão no caso do estupro

Autoridades dos Estados Unidos desculparam-se hoje pelo suposto estupro de uma mulher japonesa cometido por um soldado norte-americano. A entrega do soldado à Justiça do Japão está dependendo de procedimentos diplomáticos. O novo embaixador norte-americano no Japão, o ex-senador republicano Howard Baker, acabara de chegar a Tóquio quando o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, lhe ordenou que comunicasse o pesar de Washington sobre o ocorrido. "O presidente Bush disse para que manifestemos nosso pesar, nosso sincero pesar", disse Baker a jornalistas ao descer do avião no aeroporto internacional de Narita. O tenente-general Earl Hailston, comandante das forças norte-americanas em Okinawa, também se desculpou pelo ocorrido. No entanto, a entrega do sargento Timothy Woodland, detido na base aérea de Kadena, à polícia japonesa continua sendo aguardada devido a consultas entre Tóquio e Washington. "Este é um crime horrível que viola os direitos humanos e é absolutamente imperdoável", disse Keiichi Inamine, governador de Okinawa. A câmara municipal de Chatan, aldeia na qual teria ocorrido o estupro, aprovou hoje uma resolução condenando o ocorrido e pedindo para que seja declarado um toque de recolher para os soldados norte-americanos e proibida a venda de bebidas alcóolicas aos militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.