Embaixador dos EUA diz que erro não justifica terrorismo

O embaixador interino dos Estados Unidos no Brasil, Cristobal Orozco, admite que a política externa norte-americana pode eventualmente conter alguns erros, porém ele acha que nada justifica os atos terroristas cometidos no último dia 11. "Nos países democráticos há formas de discutir e mudar a política externa. Não há como tentar mudar a nossa política fazendo atos terroristas contra sete mil pessoas inocentes", afirmou durante entrevista para o programa "De Olho no Mundo", uma co-produção das rádios Eldorado e BBC de Londres.Cristobal Orozco procurou justificar o apoio dado, no passado, pelos Estados Unidos a esquemas terroristas semelhantes ao de Bin Laden. "É certo que nós ajudamos durante a trágica história do Afeganistão, durante os últimos 20 anos. Mas essa não foi a primeira vez e outros países também têm ajudado grupos que vão em outra direção. Os tempos mudam e temos que nos adaptar. Já deixamos de apoiar esses grupos, quando começou uma guerra civil no Afeganistão. Os Estados Unidos não controlavam esses grupos, mas os apoiavam. Deixamos de apoiar, depois da saída dos soviéticos, quando se iniciou essa guerra civil."Ainda durante a entrevista, Orozco disse não ver nenhum problema na aparente contradição entre o título da operação americana, batizada de "liberdade duradoura? e o apoio dado aos Estados Unidos pelo Paquistão, um governo tido como totalitário. "Nós temos relações com vários países, em diferentes formas de democracia. Não é o momento de questionar qual seria o preço dessa colaboração", afirmou o embaixador. "Eu acho que há vários anos nós temos boas relações com o Paquistão. Não vejo nenhum problema, sendo o único país que tem relações com o Taleban hoje."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.