Carolina Antunes/PR
Carolina Antunes/PR

Embaixador dos EUA no Brasil anuncia aposentadoria

Indicado ao cargo pelo ex-presidente Donald Trump, Todd Chapman está no posto desde março de 2020

Cássia Miranda, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2021 | 11h32
Atualizado 10 de junho de 2021 | 17h08

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, anunciou nesta, quinta-feira, 10, que vai se aposentar do serviço público. Ele foi indicado ao cargo pelo ex-presidente Donald Trump, em outubro de 2019.

Em nota, o diplomata disse já ter informado o presidente Joe Biden da decisão. Chapman, que tem 30 anos de carreira no Departamento de Estado dos EUA, está no cargo desde março de 2020. O diplomata é formado em História pela Universidade de Duke e tem mestrado em Inteligência Estratégica na Escola Nacional de Inteligência. Antes de ocupar o cargo no Brasil, Chapman era embaixador no Equador, desde 2016. 

“Escrevi ontem ao presidente Biden para informá-lo da minha decisão de me aposentar do serviço público depois de 30 anos de carreira no Departamento de Estado”, escreveu. O texto aponta “várias razões pessoais positivas” como justificativa para a decisão.

“Após minuciosa consideração, minha esposa Janetta e eu estamos convencidos de que este é o momento propício, por várias razões pessoais positivas, para nos mudarmos para Denver, Colorado, para viver mais perto de nossos dois filhos e nora e realizar novas oportunidades profissionais e interesses pessoais de longa data com os quais estamos genuinamente entusiasmados”, completou.

O diplomata afirmou que apesar de o período de sua atuação na embaixada coincidir com o início da pandemia,  “continuamos construindo uma aliança e parceria cada vez mais forte com o Brasil, a maior e mais influente democracia da América Latina”, escreveu.

Chapman classificou “com uma grande honra” o período em que esteve à frente da embaixada americana no Brasil. “Deu-me a oportunidade, juntamente com os profissionais brasileiros e americanos da Embaixada e dos Consulados dos EUA, de fazer parte de momentos notáveis da parceria Brasil-EUA”, considerou. Ao todo, ele morou no País por mais de 12 anos.


O diplomata não apontou uma data para encerrar suas atividades na embaixada, mas afirmou que passará os próximos 30 dias no Brasil “fazendo minha parte ativamente como embaixador dos EUA para continuar avançando na relação Brasil-EUA.” O governo americano tem aaté a saída de Chapman para indicar um substituto. Caso isso não ocorra, quem fica no comando da embaixada é o ministro-conselheiro Douglas Koneff.

Currículo

Antes de chefiar a embaixada americana no Brasil, o diplomata trabalhou como vice-secretário adjunto principal para Assuntos Políticos e Militares no Departamento de Estado (2014-2016); vice-chefe de Missão na Embaixada dos Estados Unidos em Brasília (2011-2014); coordenador adjunto sênior para Assuntos Econômicos da Embaixada dos Estados Unidos em Cabul, Afeganistão (2010-2011) e encarregado de negócios na Embaixada dos Estados Unidos em Maputo, Moçambique (2007-2010). Também serviu na Bolívia, Costa Rica, Nigéria e Taiwan, além de ter ocupado diversos cargos no Departamento de Estado em Washington.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.