Embaixador dos EUA pede compensação por nacionalizações

O governo do presidente Hugo Chávez deve compensar de maneira "justa é rápida" os danos causados à empresa CANTV se for finalizado o projeto de nacionalização, declarou nesta quinta-feira o embaixados dos Estados Unidos em Caracas, William Brownfield. Após as declarações, Chávez afirmou que pode pedir ao embaixador que abandone o país.Em entrevista à rede de notícias Rádio União, o diplomata disse que a planejada estatização da Companhia Anônima Nacional de Telefonia da Venezuela (CANTV) deve ocorrer de "maneira transparente, legal e oferecendo compensação justa é rápida às pessoas e aos prejudicados".A CANTV é dirigida pela corporação internacional Verizon Communications Inc., que possui uma participação de 28,5%, Telecom Espanha, que tem 6,9% das ações, e o governo, que possui 6,6%. Trabalhadores mantêm outros 7,4% dos títulos das empresa.Chávez, que se declara um "revolucionário", disse que está caminhando a Venezuela rumo ao socialismo e que pretende nacionalizar, de forma imediata, a companhia telefônica, afirmando que não pagará os preços de cotação das ações no mercado.O líder venezuelano declarou, durante seu programa dominical, que pagaria "o quanto a lei disser e pela forma que o Estado decidir". Lembrou que a empresa possui dívidas com os trabalhadores e aposentados, além de "dívidas tecnológicas" com a Venezuela.Brownfield, no entanto, expressou na entrevista seu otimisto à respeito de uma compensação justa aos acionistas da CANTV."Eu imagino que pode ser um processo que chegue a uma conclusão satisfatória para todos, essa é minha esperança e a de todos os envolvidos", disse o embaixador.Chávez, amigo e aliado do líder cubano Fidel Castro, afirmou em sua posse no terceiro mandato como presidente, no início de janeiro, que pretende nacionalizar o setor elétrico e telefônico do país, além de tomar, com o controle estatal, quatro lucrativos projetos de extração de petróleo e gás no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.