EFE/Justin Lane
EFE/Justin Lane

Embaixador israelense exibe na ONU diagrama com a frase 'como esfaquear um judeu'

Segundo ele, a imagem representa o que está sendo ensinado às crianças palestinas; de acordo com o Instituto de Pesquisa do Oriente Médio, o desenho foi encontrado em uma rede social

O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2015 | 17h37

NOVA YORK -  O embaixador israelense na ONU, Danny Danon, chamou atenção pouco antes da reunião especial do Conselho de Segurança para debater a crise entre israelenses e palestinos ao mostrar um diagrama com a frase: “Como esfaquear um judeu”. Segundo ele, a imagem representa o que está sendo ensinado às crianças palestinas. De acordo com o Instituto de Pesquisa do Oriente Médio, o desenho mostrado por Danon foi encontrado em uma rede social. 

Convocada pela Jordânia, a reunião emergencial ocorrida hoje tinha por objetivo discutir o conflito que se intensificou na última semana. Hoje, um palestino disfarçado de jornalista esfaqueou um soldado israelense em Hebron e o túmulo do patriarca José foi incendiado por palestinos. O local, que fica em Nablus, no norte do território palestino ocupado da Cisjordânia, era considerado sagrado pelos judeus.

O conflito dos últimos dias é, em parte, a reação dos palestinos ao que eles veem como uma crescente invasão dos judeus no complexo onde fica a mesquita de Al-Aqsa.

Israel rejeitou na reunião de hoje o pedido da Palestina para uma força de proteção internacional na mesquita de Al-Aqsa. “É responsabilidade da Organização das Nações Unidas, da comunidade internacional e do Conselho de Segurança fornecer proteção para o nosso povo no território ocupado, incluindo Jerusalém Oriental”, defendeu Riyad Mansour, embaixador palestino na ONU. 

A justificativa israelense para rejeitar o pedido foi a de que manter o status quo seria a única forma de garantir a estabilidade da região. 

Polêmicas. Esta não foi a primeira vez que um desenho foi levado por uma autoridade israelense à ONU. Em 2012, em seu discurso na Assembleia-Geral, o premiê Binyamin Netanyahu mostrou um diagrama para afirmar que o Irã estava perto de ter urânio enriquecido suficiente para fazer uma bomba. No discurso, ele exibiu o diagrama e afirmou: “Isso é uma bomba, isso é um pavio. Nos planos do Irã de construir uma bomba nuclear, ela precisa ser preenchida com urânio enriquecido suficiente".

A ação do primeiro-ministro acabou virando piada na internet. Além disso, a Casa Branca ironizou o fato, criando outro diagrama que indicava que o país tinha 0% de chance de produzir uma bomba naquelas circunstâncias.

Mais conteúdo sobre:
Israel palestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.