Embaixador israelense lamenta atentados anti-semitas

O embaixador israelense na Alemanha, Shimon Stein, manifestou nesta quinta-feira sua preocupação quanto à possibilidade de que ocorram em território germânico atentados anti-semitas, como estão ocorrendo na França e na Bélgica, em razão dos ataques do exército israelense aos territórios palestinos. "Temo e deploro que instalações judaicas e dirigentes da comunidade sejam objeto de extremistas e vândalos", disse Stein em declarações à imprensa. No domingo passado, dois judeus ortodoxos americanos foram agredidos em Berlim por um grupo de jovens, supostamente de nacionalidades árabes, e desconhecidos pintaram suásticas em um monumento que recorda a deportação de judeus durante a Segunda Guerra mundial. Ao mesmo tempo, o conflito no Oriente Médio continua provocando na Alemanha amplos debates e polêmicas entre os partidos políticos. O vice-presidente do Partido Liberal (FDP), Juergen Moellemann, em declarações ao jornal berlinense Die Tageszeitung expressou indiretamente compreensão pela oposição armada dos palestinos. "A"política de Israel favorece o terrorismo", opinou Moellemann. "O quê nós faríamos se a Alemanha fosse ocupada? Nos defenderíamos, fazendo uso da violência. Eu sou um oficial de pára-quedistas da reserva e saberei defender-me. E não farei isto só no meu país, mas também no país agressor", disse o dirigente da FDP. Algumas organizações judaico-alemãs criticaram as afirmações de Moellemann.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.