Embaixador morreu asfixiado, diz médico que o atendeu

O médico líbio que atendeu o embaixador norte-americano morto na Líbia afirmou que o diplomata morreu asfixiado. Ziad Abu Zeid disse para a Associated Press que durante 90 minutos tentou reanimar Chris Stevens, de 52 anos.

AE, Agência Estado

12 de setembro de 2012 | 12h13

O médico afirmou que o Stevens teve "asfixia severa" aparentemente por ter inalado fumaça, mas que não tinha outros ferimentos. Ele contou que o embaixador foi levado ao Centro Médico de Benghazi na noite de terça-feira.

Stevens e mais três funcionários da representação diplomática foram mortos durante a invasão do consulado por líbios revoltados com um filme que ridiculariza o profeta Maomé. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Líbiaembaixadormortemédico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.