Embaixador russo visita área curda e critica EUA

O embaixador russo em Bagdá visitou hoje o enclave autônomo curdo no norte do país e criticou duramente os pedidos lançados pelos Estados Unidos para que Saddam Hussein seja derrubado do poder. O embaixador Vladimir Tetrinko tornou-se a segunda autoridade russa a visitar a região curda desde que ela foi estabelecida em 1991, após o fim da Guerra do Golfo. Tetrinko também criticou uma conferência realizada em Londres por líderes da oposição iraquiana, dizendo tratar-se de uma reunião de conspiradores que tramam "derrubar o governo legítimo do Iraque", e ridicularizou os planos dos EUA para formar uma coalizão internacional para derrubar o governo de Saddam. "Acho que não haverá nenhum ataque de uma coalizão ao Iraque, porque não existe nenhuma coalizão", afirmou. "Nosso ponto de vista é muito claro. Não podemos construir um Iraque democrático por meio de ações militares e levando para lá um ditador." Tetrinko visitou a região vários dias depois de uma visita surpresa à mesma área empreendida pelos senadores dos EUA Chuck Hagel, um republicano do Estado de Nebraska, e Joseph Biden, um democrata de Delaware. Ele disse que não sabia da visita dos senadores antes de chegar à região, mas definiu-a como "ilegal". O embaixador afirmou que havia ido ao enclave curdo a fim de se encontrar com autoridades curdas, como parte de uma visita de rotina às províncias iraquianas ou "governadoratos", e visitar os túmulos de quatro soldados russos mortos pelos nazistas durante a Segunda Guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.