Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Embaixador sírio na ONU promete 'boas notícias até o domingo'

Bashar Jaafari diz que seu governo quer fazer da missão de Annan um 'sucesso' e desmente falta de cooperação

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2012 | 03h07

O embaixador da Síria nas Nações Unidas, Bashar Jaafari, afirmou que seu governo quer "transformar a missão de (Kofi) Annan em um sucesso". O representante do regime de Assad também desmentiu que Damasco não esteja cooperando com o ex-secretário-geral das Nações Unidas e atual mediador do conflito.

"Isso é uma mentira. Esperem até domingo e vocês terão boas notícias", disse o diplomata, em entrevista no Conselho de Segurança depois de Annan falar por videoconferência de Genebra para os membros do órgão decisório máximo das Nações Unidas, com sede em Nova York.

Segundo Mark Grant, embaixador da Grã-Bretanha na ONU e atual presidente do Conselho de Segurança, "todos os países-membros se comprometeram a apoiar integralmente Annan e sua missão. Claramente, é responsabilidade do governo sírio interromper os assassinatos contra seus cidadãos. Também é o governo sírio que usa artilharia pesada e precisa parar com a violência antes".

Diplomatas de países do Ocidente disseram que uma resolução para apoiar a missão de Annan na Síria está sendo negociada. A Rússia e a China ainda não colocaram obstáculos.

Uma outra resolução condenando o regime de Bashar Assad e pedindo o fim da violência ainda não avançou no conselho. Por duas vezes, Moscou e Pequim vetaram iniciativas nesse sentido.

Em Washington, a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, afirmou que o Irã tem enviado armas para a Síria através do espaço aéreo iraquiano.

"Qualquer armamento enviado ao regime sírio neste momento obviamente será usado na repressão", disse o representante da diplomacia americana. O governo iraquiano, que é aliado de Assad, afirmou que tem inspecionado todos os carregamentos de mercadorias que passam pelo país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.