Embaixador voltará a Israel nos próximos dias por decisão do Planalto

Para governo, convocação de Henrique Sardinha para consultas sobre ofensiva israelense em Gaza já cumpriu 'gesto político'

Nivaldo Souza, O Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2014 | 17h17

BRASÍLIA - O embaixador do Brasil em Israel, Henrique Sardinha, que voltou ao País no final de julho por determinação do Palácio do Planalto, voltará nos próximos dias para Tel-Aviv. O governo entende que a convocação de Sardinha para consultas sobre a ofensiva israelense na Faixa de Gaza já cumpriu o "gesto político" que o Planalto queria dar à Israel.

O embaixador foi convocado para voltar ao Brasil no dia 23 de julho, depois que o Ministério das Relações Exteriores divulgou nota classificando como "inaceitável" a ofensiva militar de Israel sobre a Faixa de Gaza. "O governo brasileiro considera inaceitável a escalada da violência entre Israel e Palestina. Condenamos energicamente o uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza, do qual resultou elevado número de vítimas civis, incluindo mulheres e crianças", disse a nota.

O gesto foi acompanhado de um pedido de cessar-fogo. Em resposta à ação da diplomacia brasileira, o porta-voz israelense Yigal Palmor chamou o Brasil de "anão diplomático". O ministro da Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, rebateu a declaração afirmando que o Brasil era um dos 11 países do globo a manter relações diplomáticas com todos os integrantes das Organização das Nações Unidas (ONU).

Agora, depois da polêmica troca de farpas diplomáticas entre Brasil e Israel, o Planalto avalia que Sardinha deve voltar. O embaixador tem participado, desde que voltou a Brasília, de uma série de reuniões com a área de Oriente Médio do Itamaraty para informar sobre a situação de Gaza, onde 1.665 palestinos já morreram, sendo 296 crianças, segundo balanço deste sábado do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). 

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelFaixa de GazaOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.