Emboscada mata mais dois americanos no Iraque

A morte de mais dois soldados americanosneste sábado em uma emboscada contra o comboio em que viajavamperto de Faluja, a oeste de Bagdá, encerra a mais mortíferasemana para os militares dos Estados Unidos no Iraque desde 1.de maio, quando o presidente americano, George W. Bush, declarouo fim dos combates em grande escala no país. Com o ataque de hoje, subiu para 34 o número de soldadosamericanos mortos nos últimos sete dias. Segundo estimativas deWashington, a cifra de militares mortos apenas em ações decombate desde maio eleva-se para 149. De acordo com testemunhas, a explosão ocorreu quando um dosveículos do comboio da 82. Divisão Aerotransportada passou aolado da bomba - segundo fontes oficiais americanas, defabricação caseira. Um terceiro soldado ficou ferido. O ataque ocorreu 24 horas depois da morte de seis americanosna queda de um helicóptero Black Hawk, em Tikrit, aparentementeatingido por granadas propelidas por foguetes. A semana tinha começado com a derrubada de um helicópteroChinook, no domingo, causando a morte imediata de 15 soldados.Um 16.º militar morreu em um hospital da Alemanha em decorrênciados ferimentos que sofreu. Em resposta à onda de ataques, aviões americanos - apoiadospor tanques - bombardearam alguns locais suspeitos de serviremde abrigo para membros da resistência à ocupação americana nossubúrbios de Tikrit, cidade natal e principal reduto do depostoditador Saddam Hussein. Foi o primeiro ataque aéreo americano no Iraque desde o fim dafase de grandes combates. O toque de recolher, suspenso desdesetembro, voltou a vigorar na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.