Emboscada terrorista deixa 6 mortos na Argélia

Grupo responsável pelo ataque pode ser ligado à Al Qaeda, dizem autoridades

Efe,

22 de outubro de 2009 | 11h27

Pelo menos seis guardas de segurança da empresa canadense de construção SNC-Lavalin morreram e outros três ficaram feridos em uma emboscada executada nesta quinta-feira, 22, por um grupo terrorista islâmico na região da Cabília, informaram fontes locais.

 

As seis vítimas viajavam a bordo de um furgão para vigiar obras em construção entre as localidades de Maatkas e Mechtras, quando caíram na emboscada. As forças de segurança suspeitam que os atacantes pertençam à organização terrorista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI), especialmente ativa na Cabília (norte da Argélia).

 

Os guardas, responsáveis pela escolta e segurança dos trabalhadores da SNC-Lavalin, eram membros dos denominados grupos de legítima defesa (civis armados pelas autoridades dentro da luta antiterrorista).

 

Os autores do ataque estavam escondidos dos dois lados da estrada e abriram fogo contra o furgão por volta das 7 horas locais (4 horas no horário de verão de Brasília). Seis dos ocupantes do veículo morreram na hora e outros três ficaram feridos. Os terroristas fugiram e as forças de segurança iniciaram uma operação de busca na região, sem resultado, até o momento.

 

A empresa SNC-Lavalin já foi alvo de atentado em agosto de 2008 na província de Buira, na mesma região. Naquela ocasião, um terrorista suicida explodiu seu veículo contra um ônibus que transportava trabalhadores argelinos da companhia canadense, provocando 11 mortos.

 

O atentado desta quinta é o mais mortal registrado na Argélia desde o final de julho, quando um ataque a um comboio militar deixou mais de dez mortos perto da localidade de Tipasa, ao oeste de Argel.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgéliaterrorismoAl Qaedaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.