Emergência na Mongólia

O presidente da Mongólia, Nambaryn Enkhbayar, decretou ontem estado de emergência depois que dezenas de manifestantes atacaram com pedras a sede do partido governista na capital, Ulan Bator, alegando fraude nas eleições parlamentares de domingo. Resultados iniciais deram ao ex-comunista Partido Revolucionário do Povo Mongol, no poder desde o período soviético, 46 das 76 cadeiras do Parlamento.

O Estadao de S.Paulo

02 de julho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.