Emergência no Paquistão deve acabar em semanas, diz ex-premiê

O presidente paquistanês, PervezMusharraf, provavelmente deve encerrar o estado de emergênciaque implementou no país em duas ou três semanas, afirmou opresidente do partido governista a um jornal. Chaudhry Shujaat Hussain, líder da Liga Muçulmana,ex-premiê e membro do círculo íntimo do general Musharraf,disse que o presidente entende as consequências de nãosuspender o altamente criticado estado de exceção no Paquistão. "Tenho certeza de que vai acabar em duas ou três semanas,assim como o presidente Musharraf está ciente das consequênciasde um governo de emergência longo", disse Hussain à ediçãodesta quarta-feira do diário Dawn. Autoridades declararam que as eleições previstas parajaneiro ainda acontecerão na data, mas Musharraf não disse atéagora quando o pleito ocorrerá ou quando o estado de emergênciaterminará. Partidos de oposição paquistaneses discutirão naquarta-feira como reverter a emergência, esperando aproveitarda reprovação internacional à detenção de centenas de advogadose opositores políticos. Nos comentários mais fortes que fez desde sábado, a líderda oposição Benazir Bhutto disse que o mundo tem que fazerMusharraf revogar suas medidas ou mandá-lo renunciar. "Se ele não fizer isso, então acho que a comunidadeinternacional deve escolher entre a população do Paquistão eele", disse Bhutto em entrevista ao Canal 4 da Grã-Bretanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.