Mosab Omar/Reuters
Mosab Omar/Reuters

Emirados desistem de banir BlackBerry

Segundo órgão regulador, empresa fabricante do aparelho antendeu a reclamações do governo

BBC

08 de outubro de 2010 | 11h08

DUBAI - Os Emirados Árabes Unidos informaram nesta sexta-feira, 8, que não vai continuar com os planos de banir serviços do celular BlackBerry. A decisão foi tomada depois de negociações com a Research in Motion (RIM), fabricante do aparelho.

 

A Autoridade Reguladora de Telecomunicações confirmou que está satisfeita com os serviços do telefone, adaptados para as normas de segurança do país. O país dizia que o aparelho era uma ameaça à segurança do país, já que não era possível decodificar suas mensagens e, por isso, terroristas poderiam usá-lo para se comunicar. Os Emirados ameaçaram suspender os serviços do BlackBerry a partir de 11 de outubro.

 

"Todos os serviços do BlackBerry continuarão operando normalmente nos Emirados Árabes e nenhuma suspensão ocorrerá no dia 11 de outubro", informou o órgão responsável pela fiscalização. A agência reconheceu "o engajamento e a colaboração positivos da RIM em chegar a uma solução satisfatória para o problema".

 

A empresa teve de lidar com uma série de reclamações de vários governos por conta das mensagens codificadas do BlackBerry. Índia e Arábia Saudita também ameaçaram barrar os serviços do aparelho.

Tudo o que sabemos sobre:
BlackBerryEmirados ÁrabesDubai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.