Emissários de Olmert se encontram em segredo com Abbas

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, enviou dois importantes funcionários de seu gabinete para uma reunião sigilosa com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, em seu escritório na cidade de Ramala. Segundo informou nesta terça-feira o jornal Ha´aretz, os emissários Yoram Turbowitz, chefe do escritório do primeiro-ministro, e seu assessor político Shalom Tujeman teriam se encontrado com Abbas no último domingo. Na pauta, entre outros assuntos, esteve uma possível troca de prisioneiros palestinos pelo soldado israelense Gilad Shalit, capturado em junho, em Gaza.De acordo com o jornal de Tel Aviv, Abbas e Olmert também falaram por telefone durante a reunião. O chefe do governo israelense teria rejeitado o pedido do presidente palestino de libertar o "prisioneiro número um" dos 10 mil detidos em Israel, Marwan Barghouti. Olmert informou que não está disposto a debater o assunto antes da libertação de Shalit. Barghouti cumpre uma pena de cinco prisões perpétuas, como autor intelectual da morte de cinco civis em ataques das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa.Durante a reunião, Abbas e os emissários de Olmert também conversaram sobre a nova visita da secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, à região. A viagem está prevista para janeiro e pode abrir o caminho para uma eventual conversa entre Olmert e Abbas.Segundo o jornal, o governo israelense já havia oferecido ao Hamas a troca de Shalit por mil prisioneiros palestinos, que seriam libertados em três fases. Entre eles estariam todas as mulheres e os menores de idade. O líder do Hamas, Khaled Mashaal, participa das negociações indiretas com Israel, com a mediação do Egito, e exige a libertação de 1.400 prisioneiros.Fontes ligadas ao presidente Abbas disseram que os emissários de Olmert transmitiram ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) "mensagens muito positivas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.