Empresa aéreas dos EUA querem US$ 24 bilhões

O secretário dos Transportes dos EUA, Norman Mineta, disse, nesta terça-feira, que espera que a Casa Branca e o Congresso concluam um pacote de ajuda financeira às companhias de aviação no início da próxima semana. Ao mesmo tempo, o chairman da Delta Airlines, Leo Mullin, defendeu que o plano seja implementado rapidamente.Mullin evitou dizer o montante do pacote, mas não desmentiu informações de que as empresas estão pedindo US$ 24 bilhões. "Estamos trabalhando em planos com o governo que poderiam, de fato, chegar a tanto, talvez menos, e todos nós esperamos que seja menos", disse Mullin.Infusão financeiraEle fez os comentários depois de um encontro na Casa Branca entre os executivos do setor de aviação e Mineta, do qual também participaram o diretor de Orçamento, Mitch Daniels, e o conselheiro econômico da Casa Branca, Lawrence Lindsey. "Precisamos de uma infusão financeira muito, muito rápida", disse Mullin.Mineta disse que viu estimativas de que as empresas aéreas estão perdendo entre US$ 250 milhões e US$ 300 milhões por dia.Ele acrescentou que a Casa Branca entende que a indústria de aviação precisa de ajuda agora, mas destacou que o pacote tem que levar em consideração questões além de simplesmente quanto dinheiro as companhias precisam.Mineta disse que o governo também está estudando se as companhias podem obter seguro a taxas razoáveis ou não e que nível de responsabilidade as mesmas devem ter no pagamento de seguro pelas perdas e danos durante os ataques terroristas.AvaliaçãoMineta afirmou que o encontro desta terça teve o objetivo de avaliar o que a indústria de aviação precisa em termos de ajuda, para que o governo possa trabalhar com republicanos e democratas na aprovação de legislação no Congresso.Depois do encontro na Casa Branca, executivos da American Airlines, United Airlines, Continental e Northwest, entre outras empresas de aviação, se reuniram a portas fechadas com líderes do Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.