Empresa alemã suspende venda de papel moeda ao Zimbábue

Companhia pára exportação imediatamente pelas pressões da Alemanha, UE e ONU contra o governo de Mugabe

Reuters,

01 de julho de 2008 | 18h13

Uma empresa alemã que fornecia papel moeda ao Zimbábue anunciou nesta terça-feira, 1, que não enviará mais o material ao banco central do país africano devido às pressões do governo da Alemanha, União Européia e Nações Unidas (ONU).   Veja também: União Africana pede governo de coalizão no Zimbábue EUA ameaçam agir de modo unilateral contra o Zimbábue Tsvangirai: de líder sindical a inimigo do regime Mugabe: uma história de 3 décadas no poder   Muitos países condenaram o violento segundo turno das eleições presidenciais, que aconteceu no fim de semana e rendeu o sexto mandato ao presidente Robert Mugabe. Algumas nações insistem que a ONU deve impor sanções ao país.   "Nossa decisão leva em conta as preocupações com a situação política no Zimbábue, que está cada vez pior. Esperamos que melhore", afirmou Karsten Ottenberg, diretor da companhia alemã, Giesecke & Devrient GmbH, em comunicado.   "Também reflete a visão crítica da comunidade internacional, do governo e das pessoas em geral", acrescentou o diretor, destacando que a interrupção deve ter efeito imediato. A imprensa local informou que a empresa fornecia quase metade da matéria-prima para a produção do dinheiro do Zimbábue.   O país sofre um desastre econômico. Segundo economistas, a taxa de inflação é de pelo menos 2.000.000%. Na semana passada, o ministro do Desenvolvimento alemão, Heidemarie Wieczorek-Zeul, pediu que a firma de Munique interrompesse a exportação de papel moeda ao Zimbábue para ajudar a desestabilizar o governo de Mugabe.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.