Empresa área afegã encerra 55 anos de atividade

A empresa aérea do Afeganistão Ariana despediu todos os funcionários, anunciou hoje um porta-voz da ONU em Islamabad. "Uma das vítimas dos bombardeios aéreos (dos EUA) parece ser a companhia aérea do Afeganistão", disse Hasan Ferdous. "Soubemos que a Autoridade da Aviação Civil afegã despediu todo o pessoal da Ariana, umas 1.300 pessoas, pondo fim de fato a 55 anos de atividade das linhas aéreas afegãs". A companhia já havia sofrido sanções, com a proibição de fazer vôos internacionais e com o congelamento das contas bancárias no exterior. As sanções foram impostas pela ONU há dois anos, após a recusa do governo taleban em expulsar Osama bin Laden, então procurado pela Justiça norte-americana por ligações com os atentados contra as embaixadas dos EUA no Quênia e na Tanzânia em 1998. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.