Empresa cria passeios por Buenos Aires em carros dos anos 60

Tour, que passa por pontos turísticos, também inclui motoristas vestidos com figurinos da época.

Marcia Carmo, BBC

28 de abril de 2011 | 05h48

Argentinos e turistas agora podem conhecer Buenos Aires a bordo de carros dos anos 60 e conduzidos por motoristas vestidos com figurinos da época.

A ideia partiu de dois irmãos que, fãs de veículos antigos, decidiram transformar a paixão em negócio e criaram a empresa Buenos Aires Vintage.

"Sempre gostei de carros antigos e faço parte do Citroën Club de Buenos Aires, que reúne mais de 300 automóveis. E ali, ao ver tantos seguidores, surgiu a ideia da empresa", disse à BBC Brasil Martín Sánchez, de 32 anos.

Com a ajuda de familiares, ele e o irmão - Mariano, de 28 anos - criaram a empresa, que usa carros Citroën 2CV e Citroën 3CV, sem capota, no tour pela cidade. A escolha do modelo do veículo foi baseada no fato de ele ser "econômico e histórico", já que, de acordo com a imprensa local, foi "símbolo da classe média argentina nas décadas de 1960 e 1980".

Sánchez conta que o pai deles tinha um destes modelos quando ele e o irmão eram pequenos. "O carro marcou nossa infância."

Segundo ele, os carros foram restaurados e preservados para não gerar problemas mecânicos. "Buscamos peças aqui e no interior do país até eles ficarem assim com este visual, sem capota e muito seguros", disse.

Passeios noturnos

Por 240 pesos (cerca de R$ 150), os passeios duram duas horas e os percursos incluem pontos simbólicos da cidade de Buenos Aires, como o Congresso Nacional, e bairros da moda, como Palermo Hollywood, e nobres como a Recoleta.

A empresa oferece ainda passeios noturnos pelos pontos como a Avenida Corrientes, Las Cañitas e Palermo, com grande concentração de bares e restaurantes.

Os motoristas dos carros Buenos Aires Vintage circulam vestidos a caráter, com figurino dos tempos de glória do automóvel no país. Alpargatas, calça levemente bombacha e boina - modelo ainda comum no interior da Argentina.

Em cada carro entram três passageiros - além do motorista. O Citroën - especialmente o 2CV - marcou tanto um período argentino que fez parte da tira Mafalda, do cartunista Quino, emblema da cultura local.

Hoje, colecionadores na Argentina e no exterior o definem como "o carro da Mafalda". Em seu site, o Citroën Club Buenos Aires informa que até 2008 eram 736 carros Citroen antigos - de diferentes etapas - reunidos no clube.

"Quem teve um sempre sentirá saudades dele. É pequeno e versátil", disse Osvaldo Beiroa, da mesma associação de colecionadores.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.