Empresa é processada por leite contaminado na China

A família de um bebê cuja morte foi atribuída ao leite contaminado com um produto químico abriu hoje um processo contra uma das maiores companhias do setor de laticínios da China. Ontem, outra empresa envolvida no escândalo se disse vítima de fornecedores inescrupulosos. O processo contra a Sanlu refere-se à morte de Yi Kaixuan, de 6 meses, em 1.º de maio na cidade de Lanzhou, no noroeste do país. A família pede quase 1,1 milhão de yuans (US$ 160 mil) como indenização.Funcionários do setor de laticínios são acusados de misturar água ao leite para aumentar seus ganhos. Para fraudar testes de proteínas, adicionavam a melamina à mistura. A melamina é usada no setor de plásticos e na fabricação de fertilizantes. Em grandes quantidades, o produto pode formar pedras nos rins e até levar à morte por falência renal.O problema já causou a morte de quatro bebês e deixou mais de 54 mil crianças doentes na China, segundo dados oficiais. "Nós pensamos que eles estavam operando com boa consciência", justificou-se Guo Benheng, o presidente da Bright Dairy, referindo-se a seus fornecedores. "Eu diria que cometemos um erro inocente, ainda que um erro inocente seja ainda um erro. Nós estamos com certeza fazendo as correções."No mesmo programa televisivo, exibido na noite de domingo na China, o vice-presidente da companhia Mengniu Dairy afirmou que este é o tipo de coisa que "parte o coração".Pelo menos outras duas famílias entraram com processo contra a Sanlu. Não estava claro ainda se os tribunais chineses aceitariam os processos. O escândalo levou vários países a restringir ou proibir alimentos chineses que contenham leite na fórmula. A China anunciou medidas para regular melhor o setor e evitar novos problemas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.