Empresa etíope retoma voo com Boeing 787 Dreamliner

KAMPALA, Uganda, 27/04/2013 - A companhia aérea Ethiopian Airlines fez neste sábado, o primeiro voo com um Boeing 787 Dreamliner desde que as operações com o avião foram suspensas mundialmente, em janeiro, após incidentes envolvendo o superaquecimento de baterias de duas unidades do modelo. O voo, de duas horas, partiu da Etiópia e chegou a Nairóbi, capital do Quênia, às 12h40 (horário local), segundo autoridades aeroportuárias quenianas.

Agência Estado

27 de abril de 2013 | 14h36

A Administração Federal da Aviação (FAA, na sigla em inglês) norte-americana recentemente aprovou o novo sistema de bateria desenvolvido para o Dreamliner, que, segundo a Boeing, reduz significativamente o risco de incêndios.

Richard J. Horigan, engenheiro da Boeing, disse a repórteres em Nairóbi que todas as potenciais causas de incêndio na bateria foram eliminadas com o novo sistema. Ele ressaltou, no entanto, que o motivo do superaquecimento das baterias de dois Dreamliners, no começo do ano, nunca poderá ser identificado porque os indícios foram destruídos pelo calor.

Existem 50 unidades do Dreamliner em operação no mundo. Assim que a FAA aprovar a instalação do novo sistema em cada avião individualmente, os voos poderão ser retomados. A United Airlines, a única empresa norte-americana que usa a aeronave, transferiu uma de suas seis unidades do Dreamliner para uma instalação da Boeing em San Antonio, Texas, para que o reparo seja feito. Os incidentes de janeiro não envolveram aeronaves da United.

Na quarta-feira, a Boeing anunciou que deverá retomar entregas do Dreamliner já no começo de maio. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Etiópiaboeingvoo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.