Empresa japonesa de cosméticos devolverá dinheiro a seus clientes

A marca de cosméticos japonesa SK-II reembolsará os seus clientes chineses que compraram nove produtos faciais que continham substâncias químicas proibidas pelas autoridades, informou nesta segunda-feira a imprensa local.A companhia, que manifestou que cooperará estreitamente na investigação governamental, aceitou que era "possível" que seus produtos contivessem cromo e neodímio, diz o jornal "South China Morning Post".No entanto, a SK-II alegou que essas substâncias podem ser encontradas nos produtos, porque tanto o cromo quanto o neodímio são facilmente achados na natureza.Segundo um comunicado publicado pela imprensa chinesa, a SK-II, propriedade da multinacional americana Procter & Gamble, assegura que tanto a União Européia (UE) como os Estados Unidos aceitam "certas quantidades de ambas as substâncias".Apesar disso, a Administração Geral de Qualidade, Inspeção e Quarentena chinesa advertiu que estes dois tipos de químicos poderiam causar doenças de pele e inclusive danos ao fígado e aos pulmões se forem inalados, segundo a agência estatal "Xinhua".O produto é muito popular na China, porque serve para branquear a pele, sintoma de beleza entre as mulheres orientais, além de eliminar rugas.O caso é considerado por alguns especialistas como mais uma das "batalhas" que China e Japão mantêm há meses por suas desavenças históricas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.