Maxim Shemetov/Pool Photo via AP
Maxim Shemetov/Pool Photo via AP

Empresa russa terá preferência para explorar campos de gás na Venezuela

Emenda de acordo assinado por Caracas e Moscou dá à Rosneft 'condições favoráveis' para extrair gás de xisto dos campos de Patao e Mejillones, no Mar do Caribe

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2019 | 12h05

MOSCOU - A gigante russa de petróleo e gás Rosneft será beneficiada com condições preferenciais na exploração de dois campos de gás na Venezuela graças a emenda a um acordo entre Caracas e Moscou publicado nesta quinta-feira, 8, no portal jurídico russo.

Segundo a emenda, Rússia e Venezuela se comprometem a "criar condições favoráveis, evitar a discriminação e prestar assistência à empresa Rosneft e ao Grupo Rosneft", uma subsidiária do grupo russo na Venezuela, no desenvolvimento dos campos de gás.

Entre essas "condições favoráveis", há uma isenção fiscal na Venezuela para a Rosneft, seus fornecedores e subcontratados na exploração dos dois campos de gás, segundo a agência de notícias TASS, que afirma que os campos são fonte de gás de xisto.

Os dois locais são os de Patao e Mejillones, localizados no Mar do Caribe, na costa do Estado de Sucre, no leste da Venezuela.

A exploração desses campos pela Rosneft foi integrada a um protocolo sobre "cooperação na execução de projetos estratégicos comuns" assinado em 2009 pelos dois países. O presidente russo, Vladimir Putin, aprovou a emenda em junho, segundo a Tass.

A Rússia é, junto com a China, um dos principais aliados da Venezuela, que atravessa uma profunda crise política e econômica. Esse apoio inclui as operações da Rosneft, que realiza diversos investimentos no país.

Uma parte da dívida da Venezuela com Moscou é paga com a cessão de hidrocarbonetos, de acordo com acordos entre a petrolífera estatal venezuelana PDVSA e a Rosneft. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.