Empresa teme atentados contra alvos dos EUA na América do Sul

Células terroristas ligadas ao saudita Osama Bin Laden, que estariam operando em países da América do Sul, podem realizar ataques contra empresas e consulados norte-americanos instalados no Brasil, afirmou neste quarta-feira, em São Paulo, o diretor da área de Segurança Eletrônica e Tecnologia da Kroll, Harry Schessel, uma das maiores empresas de consultoria e gerenciamento de riscos do mundo. De acordo com Schessel, os órgãos de inteligência dos Estados Unidos já teriam identificado os integrantes e os planos de ataque de alguns destes terroristas. "Não posso falar pelos órgãos de inteligência, mas com certeza agentes norte-americanos já estão atuando no Brasil, ao lado dos organismos policiais brasileiros", disse. Schessel disse que empresas norte-americanas que atuam no Brasil, algumas clientes da Kroll, já foram informadas do risco e trabalham com segurança redobrada. As células terroristas, segundo Schessel, seriam diretamente ligadas a Bin Laden, acusado de idealizar os atentados de 11 de setembro, e seus integrantes atuariam disfarçados no meio das grandes colônias árabes existentes nos estados do sul do Brasil e em países do Cone Sul. Leia o especial

Agencia Estado,

17 Outubro 2001 | 21h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.