Daniel Garcia/AFP
Daniel Garcia/AFP

Empresário amigo dos Kirchners compra canal de TV e rádios

Cristóbal López, o 'tzar dos cassinos' investe em mídia alinhada com o governo

Ariel Palácios / CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES,

26 de abril de 2012 | 20h11

BUENOS AIRES - O empresário Cristóbal López, íntimo amigo do ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007) e da presidente Cristina Kirchner, adquiriu o canal de notícias C5N. O antigo proprietário, Daniel Haddad, também vendeu a López todas suas rádios - entre elas a popular Rádio 10 - que são líderes de audiência na Argentina. A operação total, concluída após um ano de negociações, envolveria, segundo fontes, mais de US$ 40 milhões.

A relação do governo com Hadad, que foi intensa durante mais de meia década, começou a deteriorar-se no ano passado. Simultaneamente ocorreram pressões da Casa Rosada para vender o canal a um empresário de alinhamento automático com o governo. Fontes do setor indicam que López pretende expandir seus negócios na América Latina.

Originário da província de Chubut, vizinha de Santa Cruz, terra natal de Nestor Kirchner - López é chamado de "o tzar do jogo", por seus amplos investimentos em cassinos em todo o território argentino. Em 2003, pouco depois de tomar posse, o então presidente Nestor Kirchner perguntou a López: "porque você não monta uma empresa para fazer obras públicas?". O empresário respondeu: "mas não entendo nada disso".

No entanto, López aprendeu rápido. Atualmente possui várias companhias de construção civil e é suspeito de favoritismo em licitações de obras públicas. Nos últimos anos o governo concedeu a López metade das áreas petrolíferas que passaram por licitações em Santa Cruz. López também possui meios de comunicação, imobiliárias e uma fábrica de óleo de oliva, coleta de lixo, entre outros investimentos.

No ano passado López adquiriu 345 postos de gasolina da rede de comercialização de combustíveis da Petrobrás na Argentina, além da refinaria que possuía em San Lorenzo, na província de Santa Fe. Além dos ativos, a Petrobrás vendeu à Oil Combustibles - a empresa de López - o petróleo existente na refinaria e seus diversos produtos por US$ 74 milhões. O total da operação foi de US$ 110 milhões.

Amigopólio. A compra do canal C5N reforça o grupo de meios de comunicação aliados do governo Kirchner, definido ironicamente de "amigopólio" pela deputada Elisa Carrió, líder da Coalizão Cívica, de oposição. Os analistas afirmam que o governo Kirchner, além de controlar os meios de comunicação públicos (universidades e organizações sociais aliadas da presidente Cristina, que obtiveram licenças graças à Lei de Mídia), conta com os "paraestatais" (grupos privados que subsistem graças às verbas públicas), os cooptados (empresas de mídia adquiridas por empresários amigos do governo) e os dependentes (existentes antes do governo Kirchner, mas que mudaram de tendência em troca de generoso financiamento estatal).

Faculdade. No início do mês a Faculdade de Jornalismo e Comunicação Social da Universidade Nacional de La Plata (UNLP) inaugurou um novo edifício que foi batizado com o nome "Presidente Nestor Kirchner". A designação do edifício foi criticada pela mídia independente e parte dos centros de estudantes de La Plata, já que o ex-presidente, que faleceu em outubro de 2010, nunca deu uma coletiva de imprensa durante seu mandato presidencial.

Os assessores de Kirchner, durante seu governo, argumentavam que o então presidente não precisava falar com a imprensa. "Ele fala diretamente com o povo, sem intermediários", afirmavam.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.