Empresário boliviano disputará presidência com Evo pela 3ª vez

Samuel Doria Medina, que promete 'novademocracia para o país', foi escolhido porcoalizão de centro-direita

LA PAZ, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2014 | 02h04

A oposição boliviana de centro-direita escolheu o empresário Samuel Doria Medina, de 56 anos, para disputar pela terceira vez a eleição presidencial contra Evo Morales, no dia 12 de outubro. Doria Medina, líder do partido opositor Unidade Nacional (UN), é dono de uma rede de supermercados e da maior fábrica de cimento do país. Ele foi o adversário de Evo em 2005 e 2009.

O anúncio foi feito na noite de terça-feira no Departamento (Estado) de Santa Cruz - reduto da oposição. "A candidatura será representada por Samuel e Ernesto Suárez (ex-governador de Beni). Vamos trabalhar e fazer todo esforço por essa dupla", afirmou Rubén Costas, governador de Santa Cruz.

Ao defender sua candidatura, Doria Medina falou em juntar vários setores da oposição e disse que sua nova aliança - denominada Concertação da Unidade Democrática - oferece ao país um modelo de democracia diferente da que está em vigor. "Nossa aliança é fruto da unidade. Oferecemos uma democracia na qual nenhum boliviano será perseguido por pensar diferente e a economia não terá como base um modelo de gastos excessivos. Acabou o período do confronto."

Doria Medina foi ministro das Finanças da Bolívia em 1992 e tenta rearticular líderes regionais de oposição a Evo. É um dos poucos líderes da oposição que permaneceram no país - outros alegaram perseguição política do governo de Evo -, mas seus adversários e os principais críticos dizem que ele não tem o carisma necessário para ser presidente.

O anúncio da coalizão de centro-direita ratifica o fracasso da oposição em realizar primárias para escolher um candidato de consenso, já que o ex-prefeito de La Paz e ex-aliado de Evo, Juan del Granado, líder do Movimento Sem Medo, de centro-esquerda, já disse que lançará outra aliança para concorrer à presidência.

De acordo com a última pesquisa de intenção de voto, publicada em abril pelo jornal El Deber, Evo tem ampla vantagem e venceria a eleição em primeiro turno, com 39,3% dos votos. Doria Medina, o segundo colocado na pesquisa, apareceu com 14% das intenções e Granado teve 5,9% das menções.

Preparação. Com a definição da candidatura de Doria Medina, o presidente Evo Morales afirmou ontem que definirá o programa de governo de sua terceira candidatura à presidência no final do mês. "Depois de consultar a direção nacional do Movimento ao Socialismo (MAS), convocamos um debate para o dia 29 para decidirmos nosso programa de governo", afirmou o presidente. / AFP e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.