Empresário diz que introduziu polônio em Hamburgo

O empresário russo Dmitri Kovtun disse, em declarações por telefone à emissora alemã Spiegel TV, que introduziu inconscientemente o polônio-210 no apartamento de sua ex-mulher, em Hamburgo, após encontrar-se com Alexander Litvinenko. De acordo com ele, no entanto, a substância, responsável pelo envenenamento do ex-espião russo, não foi trazida de Moscou.Recentemente, Kovtun também foi internado com suspeita de envenenamento, mas durante a entrevista disse que seu estado de saúde é bom. "A cada dia fico melhor", disse Kovtun. "Os resultados clínicos são satisfatórios e espero sair do hospital antes do fim da semana".Em seu depoimento, ele voltou a confirmar que se reuniu com Litvinenko nos dias 16, 17 e 18 de outubro. O ex-espião morreu envenenado no último dia 23 de novembro, em Londres. Os investigadores do caso acreditam que ele possa ter sido contaminado em uma dessas reuniões. "Sabe-se que os vestígios continuam durante muito tempo e, se alguém viaja por todo o mundo, é claro que vai deixando rastros por todas as partes", disse Kovtun.A Procuradoria de Hamburgo decidiu abrir investigações contra o empresário por posse ilícita de substâncias radioativas. No entanto, de acordo com a polícia, ainda não é possível determinar se Kovtun é autor ou vítima do envenenamento. Nas investigações realizadas até agora, partiu-se da suposição de que o empresário tinha passado por Hamburgo antes de reunir-se com Litvinenko.Durante a entrevista, Kovtun aproveitou para pedir desculpas à população de Hamburgo por ter causado tantos transtornos. "Causei muitos problemas", disse o empresário. "Minha própria família foi afetada".A ex-mulher de Kovtun e seus dois filhos não apresentam sintomas de contaminação, confirmaram nesta terça-feira fontes hospitalares. As provas e revistas na casa da ex-mulher do empresário foram realizadas após ele ter dito que passou a noite do dia 30 de outubro no sofá do apartamento, um dia antes de se reunir com Litvinenko.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.