Empresário golpista viaja aos EUA com visto de curto prazo

O empresário venezuelano Pedro Carmona, que ocupou o cargo de presidente durante as 28 horas nas quais prevaleceu um golpe de Estado contra o presidente Hugo Chávez, está nos EUA com um visto de curto prazo, admitiram, nesta segunda-feira, fontes governamentais de Washington. "Nossa expectativa é de que sua permanência aqui seja consistente com o curto prazo de seu visto", disse um funcionário do Departamento de Estado norte-americano à imprensa local.Carmona está nos Estados Unidos como "cidadão", disse a fonte, segundo a qual a presença do ex-golpista no país não significa que o governo do presidente George W. Bush "aprove suas ações". A Casa Branca foi duramente criticada pela controvertida posição adotada durante o golpe cívico-militar promovido em meados de abril contra o presidente democraticamente eleito Hugo Chávez.O governo Bush não condenou explicitamente os líderes golpistas que ocuparam ilegalmente o poder. Washington preferiu apoiar as ações no âmbito da Organização dos Estados Americanos (OEA) para pôr panos quentes sobre a situação política venezuelana e de seu presidente, cujas ações e declarações desagradam a Casa Branca há algum tempo.Após o fracasso do golpe, Carmona foi mantido sob regime de prisão domiciliar. No último dia 29, ele chegou a Bogotá depois de pedir proteção diplomática à Embaixada da Colômbia em Caracas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.