Empresário russo assume o poder em cidade na Ucrânia

O sentimento separatista da Crimeia levou um empresário russo a assumir o poder em Sebastopol, uma cidade localizada no sul da Ucrânia. Alexei Chaly, cidadão russo, prometeu defender Sebastopol contra os nacionalistas ucranianos envolvidos nos protestos em apoio ao ocidente. Chaly classificou a nova liderança da Ucrânia como ilegítima.

AE, Agência Estado

25 de fevereiro de 2014 | 23h09

A Crimeia está localizada na península do Mar Negro e pertenceu à Rússia até 1954. Por isso, ela permanece amplamente dominada por cidadãos russos, com uma antipatia de longa data contra os nacionalistas ucranianos.

Durante a manhã, o presidente do Parlamento regional da Crimeia, Vladimir Konstantinov, prometeu "lutar por uma república autônoma até o fim". A Crimeia já carrega o status de região autônoma da Ucrânia, com mais poderes de governança que outras partes do país. No entanto, os recentes protestos que levaram à queda do ex-presidente Viktor Yanukovich, aceleraram os pedidos por mais independência.

A Crimeia se tornou uma séria preocupação aos líderes da oposição, que tomaram controle de Kiev e tentam formar um novo governo. Em declaração publicada hoje, o presidente interino Oleksandr Turchynov se mostrou preocupado com a possível separação da região e convocou seus conselheiros para discutir o assunto.

No domingo, centenas de manifestantes tomaram a praça central de Sebastopol para expressar oposição aos protestos de Kiev. O grupo hasteou bandeiras russas e cantou músicas do país vizinho. Alguns levantavam sinais pedindo que Moscou viessem salvá-los do novo governo ucraniano.

Foi durante esse protesto que Chaly ganhou força, emitindo fortes declarações contra o novo governo de Kiev. Líderes pediram que ele se tornasse o novo prefeito e, horas depois, o então prefeito nomeado por Yanukovich renunciou e declarou seu apoio a Chaly. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Ucrâniaseparatistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.