Empresários descontentes com De la Rúa

Os empresários da província de Buenos Aires, a principal da Argentina, estão descontentes com o governo do presidente Fernando de la Rúa.Segundo uma pesquisa feita durante feira industrial e agrícola, 94% dos empresários desta província, responsável por 40% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, consideram que a gestão De la Rúa é "de regular a ruim". A pesquisa também indica que 46% consideram a atual situação de suas empresas como "regular", 36% a definem como "ruim", 14% como "muito ruim" e somente 2% consideram-na "boa" e "excelente". No setor comercial também existe irritação. Segundo a Coordenadoria de Atividades Mercantes Empresariais (CAME), as vendas de automóveis 0 km caíram 37,3% em abril em relação ao mesmo mês do ano passado. No mesmo período, a venda de imóveis despencou 34%. Além disso, houve fortes quedas no setor de brinquedos (21%), materiais elétricos (31%), e vendas em supermercados (6,8%). A CAME considera que no começo de abril havia ocorrido um pequeno aumento nas vendas, mas que a implantação do imposto sobre operações financeiras "acabou com essa tendência". Além disso, a organização sustenta que "no fim de abril, a suspensão da isenção do Imposto de Valor Agregado para vários setores e o aumento do imposto sobre operações financeiras gerou uma nova retração no público". No governo, no entanto, existe otimismo. O secretário-geral da presidência, Nicolás Gallo, afirmou que os planos do governo do presidente Fernando De la Rúa são de conseguir um crescimento do PIB de 5% no último trimestre deste ano. Desta forma, disse Gallo, o PIB poderia aumentar 2,5% em todo o ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.