Empresas japonesas na China suspendem produção

P1/NI/ /CHINA/JAPÃO/PROTESTOS

AGÊNCIA ESTADO, Agência Estado

16 de setembro de 2012 | 21h17

Várias companhias e lojas japonesas na China ficarão fechadas nos próximos dias em meio a escalada nos protestos antijaponeses no país por conta de disputa territorial entre os dois países, informou o jornal japonês Nikkei.

Para garantir a segurança de seus funcionários, a Canon irá suspender a produção em três de quatro de suas fábricas na China amanhã e terça-feira. Em Qingdao, a fabricante de produtos de saúde e beleza Lion Corp vai paralisar a produção de sua fábrica, assim como a Panasonic. A fabricante de produtos eletrônicos Mitsumi suspeita que sua fábrica na mesma cidade foi atacada. A rede de supermercados Aeon disse que lojas em Qiangdao foram depredadas pelos manifestantes e que permanecerá com as portas fechadas amanhã. Diante do crescimento do sentimento antijaponês, a All Nippon Airways informou que houve aumento nos cancelamentos de voos do Japão para a China.

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, lamentou as manifestações na China e enfatizou seu compromisso de continuar a garantir a soberania sobre as ilhas disputadas, mas sinalizou o desejo de manter relações econômicas saudáveis com Pequim, em meio a forte desaceleração econômica no Japão.

"Infelizmente, existem preocupações quanto à segurança de cidadãos japoneses e de companhias" localizadas na China, disse Noda. "Pedirei ao governo chinês que garanta a segurança e, ao mesmo tempo, protestarei" quanto à violência das manifestações, acrescentou.

A tensão em relação as ilhas não habitadas, conhecidas como Senkaku no Japão e Diaoyu na China, cresceu neste sábado e, para observadores japoneses, é o maior protesto contra o Japão feito na China desde 1972, quando as relações diplomáticas entre os dois países se normalizaram.

Ontem, manifestantes chineses encheram a rua em frente à Embaixada do Japão e enfrentaram a polícia, enquanto outros saquearam supermercados japoneses. A imprensa japonesa reportou que alguns prédios de companhias japonesas foram incendiados. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoChinailhasSenkakuDiaoyu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.