Empresas norte-americanas reclamam de furto de dados na China

Um quarto das empresas que participam de um destacado lobby norte-americano de negócios na China foram vítimas de furto de dados, disse um relatório do grupo nesta sexta-feira, em meio a crescentes atritos entre Pequim e Washington por causa da ameaça de ataques cibernéticos.

Reuters

29 de março de 2013 | 11h40

Segundo o documento da Câmara Americana de Comércio na China, 26 por cento das empresas que responderam a uma pesquisa anual informaram que dados sobre seus proprietários ou segredos comerciais foram comprometidos ou furtados de suas filiais chinesas.

"Isso representa um obstáculo substancial para os negócios na China, especialmente quando considerado em conjunto com as preocupações sobre a fiscalização dos direitos de propriedade intelectual e exigências para transferência de tecnologia", disse a Câmara.

A Mandiant, empresa norte-americana de segurança digital, disse em fevereiro que uma unidade militar secreta da China, com sede em Xangai, provavelmente foi responsável por uma série de ataques cibernéticos sofridos pelos EUA, resultando em furto de dados de mais de cem companhias.

O fato gerou uma guerra retórica entre China e EUA nas últimas semanas.

(Por Michael Martina)

Mais conteúdo sobre:
CHINAEUAHACKERS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.