Encarregado dos EUA encerra visita à Tríplice Fronteira

Um dos altos encarregados da campanha antiterrorista dos EUA, o funcionário Francis Taylor, retornou, nesta quinta-feira, a Washington, após realizar uma visita de 28 horas a Ciudad del Este, na zona da Tríplice Fronteira, considerada um núcleo de extremistas islâmicos.Reunido com jornalistas na sede da embaixada americana em Assunção, a capital paraguaia, Taylor se disse surpreso porque viu em Ciudad del Este (que faz fronteira com Foz do Iguaçu, no Brasil) ?muita vitalidade nas pessoas? e ficou impressionado com o potencial da zona.Ciudad del Este é um enorme centro comercial, no qual a maioria da lojas de artigos eletrônicos, cigarros e bebidas pertence a cidadãos de origem libanesa, síria e jordaniana, naturalizados paraguaios. Segundo informes oficiais do governo paraguaio, vivem na zona da Tríplice Fronteira (Foz do Iguaçu, no Brasil; Ciudad del Este, no Paraguai; e Puerto Iguazú, na Argentina) aproximadamente 10 mil indivíduos provenientes do Oriente Médio. Taylor disse ter visto com seus próprios olhos uma operação de contrabando, mas também o esforço dos agentes policiais, dentro de suas possibilidades, para controlar a fronteira. Indicou, também, que, na referida região "existem elementos do Hezbollah (grupo terrorista que no Líbano tem status de partido político legal) dedicados à falsificação de documentos, lavagem de dinheiro e contrabando". "Para nós, o Hezbollah continua sendo suspeito do ataque à embaixada de Israel em Buenos Aires, em 1996, e da explosão da bomba colocada na sede da AMIA (Associação Mutual Israelita Argentina) em Buenos Aires, em 1994", acrescentou. Finalmente, Taylor reiterou uma informação oficial divulgada semanas atrás em Washington: "Em razão dos acontecimentos de 11 de setembro, bloqueamos contas bancárias no valor de US$ 67 milhões; desta soma, US$ 34 milhões eram ativos pertencentes ao movimento Taleban e à rede Al-Qaeda; os milhões restantes pertencem a diferentes organizações aparentemente terroristas em 140 países, incluindo o Paraguai"."Esta guerra (contra os terroristas) nós temos que ganhar, e ganharemos", afirmou o funcionário americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.