Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
EFE/EPA/FEATURECHINA CHINA OUT
EFE/EPA/FEATURECHINA CHINA OUT

Inundações e deslizamentos em província chinesa matam 25

Na cidade de Zhengzhou, caiu em três dias o equivalente à chuva média de um ano

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2021 | 22h20
Atualizado 21 de julho de 2021 | 22h43

ZHENGZHOU, China - Ao menos 25 pessoas morreram pelas chuvas torrenciais que provocaram deslizamentos de terra e inundaram a cidade de Zhengzhou, na Província de Henan, centro da China. O presidente Xi Jinping descreveu nesta quarta-feira, 21, a situação como “extremamente grave” e disse que as medidas de controle das enchentes entraram em uma “fase crítica”.

As chuvas na região foram as mais intensas desde que esses dados começaram a ser registrados há 60 anos. As enchentes ocorreram a menos de uma semana das inundações na Alemanha e na Bélgica, que foram relacionadas às mudanças climáticas e deixaram 202 mortos. 

Cerca de 200 mil pessoas foram retiradas de Zhengzhou, cidade de mais de 10 milhões de habitantes, onde o equivalente à chuva média de um ano caiu em apenas três dias.

As tempestades submergiram o metrô de Zhengzhou na noite de terça-feira, deixando 12 mortos e 5 feridos.

Imagens nas redes sociais mostravam os passageiros desesperados com o rápido aumento do nível da água dentro de um vagão. Em um vídeo, os passageiros, uns atordoados, outros em pânico, observam a subida do nível da água à sua volta, com as plataformas submersas pela água turva das enchentes e pais carregando os filhos nos ombros. 

Um usuário da rede social Weibo contou que foi obrigado a permanecer no vagão após uma tentativa de retirada malsucedida. “Na meia hora seguinte, o nível da água continuou subindo dentro do vagão, dos tornozelos até o joelho e depois até o pescoço. A energia caiu. Meia hora depois, era difícil respirar”, disse. De repente, os socorristas quebraram os vidros e abriram o teto do vagão para salvar os passageiros.

Ao menos quatro pessoas morreram na cidade próxima de Gongyi, onde as chuvas provocaram vários deslizamentos de terra e casas e muros desabaram, segundo a agência oficial Xinhua.

As autoridades decretaram o mais alto nível de alerta na Província de Henan, enquanto as enchentes continuam afetando a região, com deslizamentos de terra que bloqueiam muitas estradas, cidades esvaziadas e grandes áreas incomunicáveis.

O Exército chinês informou nesta quarta-feira que evitou o colapso da barragem de Yihetan, localizada a uma hora da cidade de Zhengzhou. Ele explicou que realizou operações de detonação na barragem e as tropas “realizaram com sucesso uma nova abertura de desvio das enchentes”. As inundações pioraram na China ao longo das últimas décadas principalmente em razão da construção generalizada de barragens e represas que cortaram as conexões entre rios e os lagos adjacentes. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.