Enchentes e secas atingem região sul e central da China

A inundação causada por um rio na província de Sichuan, no sudoeste da China, obrigou milhares de pessoas a deixarem suas casas nesta sexta-feira, enquanto moradores na província próxima de Hunan enfrentam grave escassez de água para consumo e para a agricultura, informou a mídia estatal chinesa.

REUTERS

05 de agosto de 2011 | 09h06

Ao menos 2.381 casas desabaram depois das fortes chuvas que fizeram o rio Zhouhe, próximo à cidade de Dazhou, em Sichuan, transbordar, obrigando a saída de mais de 13 mil pessoas, disse a agência oficial de notícias Xinhua.

Segundo a Xinhua, não houve número significativo de feridos, mas as ruas e a energia foram cortadas para a região, que é afetada frequentemente por enchentes.

A agência de notícias também disse que 400 mil moradores rurais da cidade de Huaihua, na província central de Hunan, a cerca de 500 quilômetros de Dazhou, estavam sofrendo com uma seca prolongada.

A seca já destruiu 140 mil hectares de terras agrícolas, secou 1.200 poços de água e prejudicaria gravemente a safra de grãos da temporada, disse a Xinhua, citando autoridades regionais.

Depois dos meses de seca, as semanas de fortes chuvas em junho nas regiões sul e central da China provocaram enchentes e deslizamentos de terra que deixaram mais de 100 mortos.

(Reportagem de Michael Martina)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAENCHENTESSECAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.