Enchentes impedem premiê paquistanês de ir à ONU

O primeiro-ministro do Paquistão, Yusuf Raza Gilani, cancelou nesta sexta-feira seu comparecimento à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) na semana que vem em Nova York, afirmando que precisa coordenar as ações contra as enchentes no país.

AE, Agência Estado

16 Setembro 2011 | 11h06

Chuvas de monções inundaram grandes partes da província de Sindh nas últimas seis semanas, deixando mais de 200 mil pessoas desabrigadas. Os líderes paquistaneses foram alvos de fortes críticas no ano passado pela forma como cuidaram das enchentes que afetaram mais de um quarto do território do país.

Autoridades locais, a ONU e grupos locais de auxílio estão distribuindo água, remédios e comida, enquanto o Exército resgata pessoas de comunidades isoladas pelas águas. Mas milhares de pessoas receberam pouca ou nenhuma ajuda e estão vivendo ao relento sob chuva e sol escaldante.

O premiê disse que vai visitar áreas afetadas pelas enchentes a partir de sábado e vai supervisionar as ações, segundo um comunicado oficial. Gilani disse que o ministro de Relações Exteriores participará da Assembleia Geral da ONU em seu lugar.

No ano passado as enchentes afetaram a maior parte do território do país, incluindo Sindh, o que motivou uma grande mobilização internacional. O Exército norte-americano realizou centenas de missões com helicópteros para enviar comida e resgatar sobreviventes.

Enquanto o interesse da mídia internacional aumentava, o presidente Asif Ali Zardari foi filmado chegando de helicóptero a um chateaux, de propriedade da família, na França, alimentando as críticas no país e no exterior sobre a resposta do governo ao desastre. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Paquistão enchentes premiê ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.