Enchentes na Malásia deixam pelos menos 10 mortos

A Malásia enfrenta as piores enchentes dos últimos anos, que já mataram ao menos dez pessoas e desalojaram mais de 130 mil. As inundações também ameaçam as exportações de importantes commodities como óleo de palma e borracha.

Estadão Conteúdo

28 de dezembro de 2014 | 10h53

A agência estatal de notícias Bernama informou que oito pessoas estavam desaparecidas depois de o barco no qual viajavam ter sido puxado por um redemoinho e emborcado. A agência nacional de desastres do país disse neste domingo que dez mortes haviam sido confirmadas.

Os meteorologistas esperam que as enchentes atinjam áreas ainda maiores, na medida em que as chuvas se movimentam para as região sul do país, o que pode prejudicar a produção de óleo de palma, importante produto para a economia da Malásia.

As chuvas também são uma dor de cabeça política para o primeiro-ministro Najib Razak. Fotografias mostrando imagens do premiê jogando golfe no Havaí com o presidente norte-americanos Barack Obama, enquanto o país já sofria com as inundações, resultaram em fortes críticas ao premiê, que antecipou a volta ao país.

No sábado, o primeiro-ministro visitou Kota Bharu, no Estado de Kelantan, um dos mais atingidos. O local é governado há muito tempo pelo partido islamita, de oposição a Najib Razak. "Estou profundamente preocupado com as enchentes", declarou ele em comunicado. "Eu sinto muito pelas pessoas que perderam suas casas e pelas famílias que perderam seus entes queridos."

O governo da Tailândia declarou estado de desastre depois das enchentes no país terem matado pelo menos 13 pessoas em províncias do sul, algumas das quais fazem fronteira com a Malásia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Malásiaenchentesmortosdesalojados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.