AFP / CRIS BOURONCLE
AFP / CRIS BOURONCLE

Enchentes que já mataram 63 se agravam no Peru

Governo do país estuda decretar estado de emergência em virtude das chuvas, que já afetaram 550 mil pessoas

O Estado de S.Paulo

17 de março de 2017 | 17h24

LIMA - Fortes chuvas provocadas pelo El Niño que atingem o Peru desde o começo do ano se agravaram nos últimos dias e levaram o governo a estudar decretar estado de emergência no país. Desde janeiro,  63 pessoas morreram E 550 mil foram afetadas pelos temporais, que destruíram 115 mil casas. 

Na madrugada de ontem, três pessoas morreram e duas ficaram desaparecidas em virtude de um deslizamento de terra em uma estrada na província de Otuzco, no norte do país. Os corpos foram encontrados pela Polícia Nacional. A Defesa Civil ainda buscava na noite de ontem os outros dois desaparecidos.

Os danos também são graves no leste de Lima, onde o rio Rímac, o mais importante da capital, transbordou e fez com que moradores próximos a suas margens deixassem suas casas. As águas chegaram às ruas e arrancaram pedras e pedaços de madeira. Sacos de areia foram colocados nas portas para impedir a inundação. 

"Não há maneira de passar", disse o morador Henry Obando. 

Forças de segurança estão utilizando helicópteros para resgatar pessoas presas por deslizamentos e inundações. / EFE e AP

 

Tudo o que sabemos sobre:
LIMASergio GarciaPeruDefesa Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.