Encontrada a "certidão de nascimento" dos maias

O início da civilização maia pode ser fixado em 400 a.C., segundo a descoberta arqueológica de um baixo-relevo de 20 metros de comprimento por 3 de altura, informou-se hoje na capital mexicana. Pesquisadores do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México encontraram o friso em uma montanha na zona arqueológica de Calakmul, no estado de Campeche, no sul do país. Trata-se de uma verdadeira "certidão de nascimento" de uma das mais importantes culturas mexicanas, que floresceu na região que vai do sul do atual território nacional até a América Central. O friso de pedra a transição entre as culturas olmeca e maia na Estrutura II de Calakmul, um complexo arqueológico declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). O diretor do projeto de Calakmul, Ramón Carrasco, indicou que o baixo-relevo, localizado na parte superior de um edifício de 13 metros de altura, data do ano 400 a.C., segundo testes realizados com a técnica do carbono 14. Os investigadores haviam conseguido situar a última cidade olmeca na zona arqueológica de La Venta, no estado de Tabasco (sul do país), em 700 a.C., e até então se estimava que a cultura maia havia se iniciado entre 200 a.C. e 100 a.C. O edifício onde foi encontrado o baixo-relevo foi descoberto há dois anos e para chegar a ele foi necessário cavar um túnel, porque a edificação se encontra sepultada dentro da montanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.