Encontrada na Líbia vala com 1.700 corpos

As novas autoridades líbias anunciaram ontem a descoberta de uma vala comum com os restos de 1.700 prisioneiros assassinados pelo regime de Muamar Kadafi durante um massacre na prisão de Abu Salim, em Trípoli.

TRÍPOLI, O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2011 | 03h02

Os detentos foram executados em 26 de junho de 1996, após um protesto por melhores condições carcerárias. A vala foi encontrada há duas semanas num local próximo à prisão, graças a depoimentos de membros do antigo governo e testemunhas civis.

Ainda ontem, aviões da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) bombardearam fortemente Sirte, cidade natal de Kadafi, a cerca de 450km da capital. Segundo relatos do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia, os alvos foram redutos de resistentes e abrigos de armas e munições. As forças do CNT têm tentado há dias, sem sucesso, tomar Sirte, que mantém grupos leais ao regime do ditador foragido.

Por causa dos ataques da Otan, os insurgentes realizaram uma retirada tática da região, onde mais de 150 pessoas ficaram feridas e pelo menos 10 morreram nos combates só neste fim de semana. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.