Encontradas centenas de moedas no ventre de um paciente

Médicos franceses foram surpreendidosquando descobriram a razão para o ventre dolorido e inchado deum paciente: ele tinha engolido cerca de 350 moedas ? no valorde US$ 650,00 ? juntamente com colares e agulhas. Em janeiro de 2002, o homem de 62 anos chegou ao prontosocorro do Cholet General Hospital, na região centro-oeste daFrança. Ele tinha um histórico de doença psiquiátrica, estavasofrendo de dores de estômago e não conseguia comer nem evacuar.Sua família avisou aos médicos que ele às vezes engolia moedas eque já tinham sido retiradas algumas do seu estômago em visitasanteriores a hospitais. Mesmo assim, os médicos ficaram atônitos quando tiraram umaradiografia. E encontraram uma enorme massa opaca no estômago dopaciente pesando 5,5 quilos ? o peso de algumas bolas deboliche. Era tão pesada que tinha obrigado seu estômago a descere ficar entre os quadris. Cinco dias após a chegada dele ao hospital, os médicos abriramsua barriga e retiraram um estômago muito danificado juntamentecom seus conteúdos. O paciente faleceu de complicaçõespós-operatórias 12 dias depois. Um dos médicos, um especialista em terapia intensiva baseadoem Limoges, Bruno François, disse que o paciente havia engolidoas moedas no decorrer de uma década ? moedas franceses e depoiseuros que totalizaram, na época, 4.050 francos. "Ele gostava deingerir moedas", disse o dr. François. "Quando visitava algumasresidências, furtava moedas e as engolia". Essa doença rara do paciente é chamada pica, uma compulsãopara comer coisas normalmente não consumidas como alimento. Onome vem da palavra latina para um pássaro chamado pega, uma avegrande da famílias dos Corvídeos (Corvus pica) que ocorre naEuropa e da qual se acredita que coma quase qualquer coisa. Apica pode levar o paciente a comer terra, cinzas, giz, cabelo,sabão, escovas de dente, fósforos queimados e muitas outrascoisas. Uma vez François tratou um paciente que comia garfos.Grande parte de tais objetos são suficientemente pequenos paraserem expelidos sozinhos, mas outros precisam ser retiradospelos médicos. Essa doença é talvez mais conhecida em crianças emulheres grávidas, mas, às vezes, está, associada também adoenças psiquiátricas e outros distúrbios da alimentação. O caso do paciente francês, cujo nome não foi mencionado, foirelatado na quinta-feira na revista The New England Journal ofMedicine. Uns poucos detalhes do seu caso juntamente com o raioX ? mas não explicação da massa no estômago ? foram apresentadosem 1º de janeiro como um desafio para os leitores numa seçãofixa da revista chamada "Um Mistério Médico". A dra. Lindsey Baden, editora do jornal, informou que 666leitores de 73 países ? a maioria deles médicos ou estagiáriosde Medicina ? entraram em contato com a revista para tentarsolucionar o mistério. Quase 90% deles estabeleceram umdiagnóstico coerente com a pica, mas somente 8% identificaramcorretamente as moedas. "Este caso serve de aviso para fatoresimportantes que devem ser levados em consideração no tratamentode pacientes mentalmente perturbados", escreveu Baden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.