Encontrados corpos de vítimas do narcotráfico no México

Os cadáveres de pelo menos 38 pessoas assassinadas foram encontrados ontem em sete fossas clandestinas na periferia de Monterrey, a terceira maior cidade do México, informaram autoridades do país. Os investigadores utilizavam maquinário pesado para buscar mais cadáveres, e as fotografias mostraram algumas manchas negras no chão, o que sugere que alguns corpos teriam sido queimados.

AE/AP, Agência Estado

24 de julho de 2010 | 11h43

O procurador de justiça do Estado de Nuevo León, onde se localiza Monterrey, Alejandro Garza y Garza, disse que as autoridades ainda devem inspecionar outras três fossas, onde é possível haver cadáveres. Ele acrescentou que 36 das vítimas eram homens e duas, mulheres. A procuradoria-geral, por sua vez, disse que vai enviar reforços para a procura dos restos.

Ao que parece, as fossas clandestinas, que foram descobertas na quinta-feira, eram usadas por grupos de narcotraficantes que atuavam na região. A guerra contra o tráfico de drogas no México já causou mais de 24,8 mil mortes desde que o presidente Felipe Calderón lançou uma ofensiva contra os cartéis da droga depois de assumir o cargo em dezembro de 2006.

O cartéis costumam utilizar fossas para desfazerem-se de suas vítimas. Em maio, a polícia de Taxco, no Estado de Guerrero, descobriu 55 cadáveres em uma mina de prata abandonada. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxiconarcotráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.