U.S. Navy via AP
U.S. Navy via AP

Encontrados destroços do USS Lexington, afundado durante a Segunda Guerra

Ao menos 200 tripulantes do Lexington morreram na Batalha do Mar de Coral, mas a maioria foi resgatada por outros navios americanos

O Estado de S.Paulo

06 Março 2018 | 12h12

WASHINGTON  - Os destroços do USS Lexington, um porta-aviões americano afundado durante a Segunda Guerra Mundial, foram encontrados no Mar de Coral, no Oceano Pacífico, revelou nesta segunda-feira uma equipe de exploradores liderada pelo cofundador da Microsoft Paul Allen.

O Lexington foi encontrado no domingo pelo navio de pesquisas R/V Petrel, a uma profundidade de cerca de 3 mil metros e a 800 km da costa oriental da Austrália. A equipe tirou fotos e gravou vídeos dos destroços.  As imagens mostram o USS Lexington, um dos primeiros porta-aviões americanos, em um surpreendente estado de conservação.

É possível ver em aviões que afundaram com o Lexington inclusive a insígnia da estrela de cinco pontas da força aérea americana, e até o desenho do Gato Felix e de quatro pequenas bandeiras japonesas na fuselagem de um aparelho, provavelmente mostrando o número de aviões inimigos abatidos

O USS Lexington carregava 35 aviões a bordo quando afundou e a equipe encontrou 11 aparelhos, incluindo um Douglas TBD-1 Devastator, 3 Douglas SBD Dauntlesses e um Grumman F4F-3 Wildcat.  A equipe de busca publicou ainda fotos e vídeos de partes do navio, incluindo uma placa de identificação e armas antiaéreas.

Guerra no Pacífico

O USS Lexington e outro porta-aviões, o USS Yorktown, lutaram contra três porta-aviões japoneses entre 4 e 8 de maio de 1942, na chamada Batalha do Mar de Coral. 

O Lexington, chamado de "Lady Lex", também  ficou seriamente danificado e foi deliberadamente afundado por outro navio de guerra dos Estados Unidos ao final da Batalha. 

Ao menos 200 tripulantes do Lexington morreram na Batalha do Mar de Coral, mas a maioria foi resgatada por outros navios americanos. 

O almirante Harry Harris, que dirige o Comando do Pacífico (PACOM) e cujo pai lutou a bordo do Lexington, saudou o sucesso da exploração.

"Como filho de um sobrevivente do USS Lexington cumprimento Paul Allen e a equipe do navio de pesquisas Petrel por ter localizado 'Lady Lex', cerca de 76 anos após seu naufrágio na Batalha do Mar de Coral". 

"Honramos o valor e o sacrifício dos marinheiros do 'Lady Lex' e de todos os americanos que lutaram  durante a Segunda Guerra Mundial para garantir as liberdades que conquistaram para todos nós".  / AFP

Mais conteúdo sobre:
Segunda Guerra Mundial naufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.