Encontrados mais pedaços do avião que caiu na Indonésia

Pescadores encontraram nas praias da Ilha de Sulawesi, na costa ocidental da Indonésia, mais partes do avião que caiu quando transportava 102 pessoas. Partes da cabine, dos assentos e da fuselagem foram retirados das águas.Um pescador do povoado de Pare Pare havia encontrado nesta quarta-feira nas águas próximas à ilha de Célebes, no noroeste da Indonésia, uma parte da cauda do avião. Embora nenhum corpo ou sobrevivente tenha sido encontrado, familiares disseram que estavam aliviados quando os destroços foram retirados das águas. A aeronave desapareceu dos radares em meio a uma tempestade."Chorei quando ouvi a notícia, mas agora estou aliviada", disse Rosmala Dewi, cuja filha trabalhava como aeromoça no vôo da Adam Air, que acabou no ano-novo. "Pelo menos agora temos um sinal", afirmou Rosmala. Sem nenhum sinal de rádio para guiar as equipes de salvamento, quase três mil soldados, policiais e civis foram enviados para uma grande parte das densas florestas de Sulawesi, enquanto navios equipados com aparelhos de detecção submarina, com o apoio de aviões, passaram dias fazendo buscas no mar.Depois de vários dias de alarmes falsos, incluindo um que levou as autoridades a afirmar incorretamente que os destroços do avião e 12 sobreviventes tinham sido encontrados, um pescador retirou ontem das águas na costa de Sulawesi o estabilizador da cauda, que estava a 300 metros da costa.Eddy Suyanto, chefe das operações de busca e salvamento, disse hoje que o número de série na cauda que havia sido fornecido pela Boeing confirmou que a peça encontrada fazia parte do vôo KI-574, da Adam Air. Centenas de pessoas se dirigiram para as praias próximas à cidade litorânea de Parepare, observando e, em alguns casos, se juntando às equipes que faziam buscas à beira da praia. Um pedaço de assento que dizia "aperte seu cinto de segurança", uma mesinha para refeição e parte de um pneu estavam entre os objetos entregues às autoridades. O avião a jato partiu da ilha de Java em direção a Manado, capital da província de Sulawesi Norte, no dia 1º de janeiro. O piloto mudou de rota duas vezes depois de enfrentar ventos de 130 quilômetros por hora, mas não enviou um sinal de socorro ou informou sobre dificuldades técnicas antes de sair do radar quando se aproximava da costa ocidental de Sulawesi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.